Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Economia e Vivências

Economia e Vivências

07
Ago17

A arte de vencer à provocações

celbanze

Joana sempre foi vulnerável a acções e reacções externas, sempre se viu perturbada até com coisas que não deviam lhe perturbar. As indirectas, que provavelmente não eram direccionadas a ela, afectavam lhe deixando lhe perturbada por dias ou até meses cada vez que se lembrasse delas!

 

Varias vezes passou noites em claro chorando por sentir-se subestimada, envergonhada e triste com certos comentários maldosos e críticas negativas.

 

Enfim, ela foi crescendo e tendo de se adaptar cada vez mais ao facto de que nem todos iriam lhe ver com bons olhos e que o mundo competitivo traria lhe muitos dissabores.

 

A necessidade permanente de se defender e ter as respostas certas para as pessoas certas na hora certa deixavam-na cada vez mais apreensiva pois na maioria das vez sofria bloqueios psicológicos cada vez que se sentia diminuida e encolhia-se fazendo a pessoa negativa sentir-se vitoriosa.

 

Depois de várias tentativa falhadas, apercebeu-se que não conseguiria ser o tipo de pessoa que rebate com toda consistência e rapidez discursos ofensivos a busca da auto-defesa, e decidiu adotar certos comportamentos que para ela surtiram o efeito desejado.

 

Primeiro, rezar, rezar é dos remedios mais eficientes para toda e qualquer insegurança ou mesmo provocações. Tenha fé, confie na força divina ou até mesmo na força positiva do seu pensamento. Não se distraia com pensamentos negativos. Um pouco antes de se expressar reze, tenha pensamentos positivos e logo depois de receber uma ofensa ou algo que lhe desagrade, reze também ou concentre-se nas coisas positivas que lhe constroem...

 

Segundo, há entendimento de que pessoas com níveis elevados de sensibilidade à coisas negativas tem um grave problema de auto-estima. Antes de mais nada, ame-se, mas ame-se muito. Ame primeiro a sí, segundo a sí e terceiro a sí mesma.

 

Terceiro, esforce-se o suficiente para ter segurança no que diz e faz. Joana por estar envolvida num mundo competitivo cuja “casca de banana” está sempre lá para derrubá-la faz um esforço mais do que triplicado de estar a par de tudo que tem a ver com o seu meio envolvente e isso ajuda bastante.

 

Quarto, aprenda inclusive a dizer não, se realmente não souber. Aprenda também a negar situações que possam lhe criar constrangimento. Ainda que pareça auto-declaração de incapacidade, mais vale calar e se afastar do que fazer papel de ridículo em situações que poderia evitar com um simples NÃO.

 

Quinto, ignore o que não lhe constrói. A arte de ignorar, tem sido muito difícil principalmente para pessoas emocionalmente debilitadas, mas ignore e procure sempre ver o lado bom em tudo.

 

Sexto, sorria...sim, sorria a provocações, em vez de muitas vezes responder com outra ofensa, cale-se e sorria, sorria aos maus tratos, sorria pra toda e qualquer pessoa. Ainda que lhe pareça dificil, mas sorria, não existe pior humilhação para quem vem com intenções de lhe estragar o dia, ver o quão bonito é o seu sorriso.

 

Autor: Celeste Elsa da C. A Banze

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D